Gosto Se Discute : Crítica

Comédia brasileira Gosto se Discute, traz o velho e o novo disputando espaço na trama e no protagonismo.

Siga ao Bloco01

Para ficar por dentro de todas as novidades do BLOCO01, siga nossos perfis nas redes sociais:
Facebook do Bloco01
Twitter do Bloco01 (@obloco01)
Insta do Bloco01
Telegram do Bloco01

—————————————————————

Gosto Se Discute

Gosto se Discute
Gosto se Discute

Data de estreia: 09/11/2017

Direção: André Pellenz

Elenco: Cássio Gabus Mendes, Kéfera Buchmann, Gabriel Godoy, Paulo Miklos, Zéu Britto, Ronaldo Reis

Sinopse: O chef (Cassio Gabus Mendes) de um restaurante estrelado, mas um tanto ultrapassado, vê toda sua clientela ir para um novo “food truck” em frente ao seu estabelecimento. Para piorar, ele é obrigado a aceitar uma auditora do banco (Kéfera Buchmann) que quer promover uma verdadeira revolução no restaurante. O nervosismo é tanto que leva o chef a perder o seu paladar. Um novo cardápio parece ser a solução para recuperar o restaurante, mas como criá-lo sem sentir gosto algum?

 

Crítica:

Presente na TV desde 1982, Cássio Gabus Mendes é figura presente uma outra produção por ano e, como ator serve para vender a ideia de um filme nacional.

Mas ao falar de elenco de Gosto Se Discute o erro não está em Cássio ou os pequenos papeis que o rodeiam e sim em sua companhia no protagonismo do filme. Kéfera Buchmann é de longe o ponto mais inconveniente e negativo do longa-metragem.

Vinda dos vídeos de Youtube, a moça não tem sinergia ou qualquer intimidade com a história. Nos poucos segundos que ela parece ser ela mesmo, ele dá indícios de que pode fazer algo com a personagem, mas são poucos segundos, no resto do filme falta desenvolvimento e o personagem vivido por ela sofre para ganhar compaixão do público.

Acima de tudo, colocar a atriz ao lado do competente Gabus Mendes faz ressoar a falta de experiência de Kéfera, infelizmente, para a história funcionar, os dois precisavam de uma química que não foi demonstrada no filme e a trama não se sustenta somente no proveitoso ator.

Dirigido por André Pellenz, o mesmo que dirigiu Paulo Gustavo em Minha Mãe é Uma Peça, o longa trafega entre pequenas tramas que se conectam com um apelo exagerado.

Muito do que se vê na história parece como uma ideia de última hora para dar corpo ao roteiro. Ainda assim a ideia, colocar um chef de cozinha tradicional lutando com a evolução deste mercado, parece interessante e convence o espectador a dar uma chance, mas é no recheio da trama que ela se perde em soluções fracas, previsíveis, impossíveis e bobas.

Em questões técnicas, o filme é convincente, usando de poucos cenários, a forma como a câmera usa diversos ângulos e posições diferentes, facilita ao acompanhar a história e também mostra que André Pellenz sabe controlar o ambiente e a cena, apesar de tudo, o filme é montado de forma competente.

Apesar de Cassio Gabus Mendes, André Pellenz e até mesmo uma premissa interessante, o filme deixa tantos outros aspectos a desejar que dificultam na hora de contar a história e não tornam ela interessante.

—————————————————————

Trailer:

 

Clemerson Campos

Com 30 e poucos anos, Bancário, Gerente de Projetos por formação, Pai da Heloísa, apaixonado por cinema, grande consumidor de informação inútil e acima de tudo, orgulhoso membro de 2% da população mundial, OS RUIVOS!