[Critica] A morte de Stalin

A morte de Stalin.

Foi uma surpresa rir de um filme sobre a morte de um ditador tão sanguinário. Baseado na HQ homônima o diretor Armando lannucci faz um trabalho incrível no comando de um elenco fantástico. A morte de stalin retrata a cúpula da União soviética na disputa da liderança, já que o sucessor do ditador aparenta não ter ideia do que está fazendo ali. Nikita (Steve Buscemi) e Beria (Simon Russell) se destacam em um confronto indireto, manipulando os envolvidos para se sobressair.

Price: R$ 39,94
Was: R$ 54,90

Além deles o elenco conta com Jeffrey
Tambor, Paddy Considine , Rupert Friend, Jasorn Isaacs, Olga Kurylenko, Michael Palin, Andrea Riseborough, Paul Whitehouse, Adrian Mcloughlin onde trabalham em perfeita sincronia.

O filme é dividido em capítulos marcados por frases retiradas do código de como proceder após a morte de stalin, o que ironiza ainda mais a trama pois, mesmo com todos os passos pré determinados, eles aparentam não saber o que fazer.

Cada personagem possui uma apresentação própria que remete muito a imagens retiradas de quadrinhos. O filme deixa claro a brutalidade do falecido ditador e por isso traz vários pontos de humor negro.

O longa foi banido pelo governo russo mas toda a manipulação e ignorância dos personagens podem ser comparados com políticas atuais em diversos países como no Brasil. Humor inteligente dentro dos diálogos sem parecer forçado, o melhor filme de humor dos últimos tempos.

Trailer: